Pensamento Holístico x pensamento analítico.

Pensamento ocidental

A forma de pensar e agir no mundo ocidental que conhecemos hoje, deriva de princípios filosóficos adotados na Grécia antiga, por volta do século V a.C. a cultura grega já estava estabelecida, filósofos como Tales, Sócrates, Platão e Aristóteles foram figuras importantes para a construção dessa forma de pensamento. Os gregos acreditavam que para terem uma vida plena e feliz, dependiam da influência dos Deuses e, também, da ação humana, ou seja, do próprio individuo, cada um tinha livre arbítrio sobre a sua vida conduzindo-a de acordo com a sua vontade, as leis que regiam a sociedade eram criadas e alteradas por eles mesmos, todos tinham oportunidade de expor suas idéias, mostrando a importância do individualismo. Essa característica individualista reflete-se na forma de pensar e de interpretar os objetos e os fenômenos naturais, os gregos descreviam minuciosamente tudo, isolando o objeto de seu contexto na busca de explicações lógicas, criando regras e categorias, assim surgiram os ramos do conhecimento conforme temos hoje a física, a matemática, a anatomia, a geometria e tantos outros.


Pensamento oriental.


Por outro lado, as civilizações orientais foram influenciadas por correntes filosóficas como o Budismo, o Taoísmo e o Confucionismo, que de maneira geral valorizam a integração do ser humano com a natureza, buscando a felicidade e bem-estar no equilíbrio de todos os aspectos da vida. Na sociedade da Chinesa antiga, existiam códigos morais de obrigações entre o individuo e o imperador, entre pais e filhos, entre amigos, entre marido e mulher e etc, a conduta de cada indivíduo não era guiada pela sua expectativa individual, mas sim pela expectativa coletiva, cada pessoa se comportava como parte integrante de um grande complexo que se estendia desde o núcleo familiar, passando pelo circulo de amigos e englobando todo o império, a preocupação com a coletividade sempre esteve presente na cultura desse povo, os direitos individuais estavam subordinados aos direitos da comunidade, gerando uma hierarquia de obediência. O foco na coletividade leva ao conceito de harmonia grupal que é alcançada na medida que cada indivíduo cumpre seu papel social sem transgredir as regras e sem questionar tal estrutura.

Holístico x Analítico

Enquanto a cultura chinesa valorizava o coletivismo, a visão do todo, o equilíbrio do grupo, a cultura grega ocidental tinha foco no individualismo, na premissa de que cada indivíduo era responsável por si próprio. Esses dois modos de vida se desdobraram em duas formas diferentes de observar e interpretar o mundo, são elas: O pensamento Holístico (oriental) e o Analítico (ocidental).

O pensamento holístico engloba todo o contexto de uma determinada observação, percebe as relações entre um objeto e tudo o que esta ao seu redor, justifica os acontecimentos com base em tais relações captadas principalmente por meio dos sentidos e da intuição, enfatiza mudanças e contradições, vantagens e desvantagens em um mesmo evento, admite até explicações opostas de onde se permite escolher uma resposta intermediária.

O pensamento analítico destaca o objeto do seu contexto para que ele seja estudado, coloca-o em uma categoria de acordo com suas características, na tentativa de interpretar antecipadamente o seu comportamento, usa a lógica formal e afasta qualquer tipo de contradição.

Holístico

Observa o ambiente como um todo e não apenas o objeto de estudo.

Busca relações entre o objeto e o ambiente.

Suas observações são mais intuitivas baseadas nas emoções.

Aceita duas ou mais explicações para um mesmo fenômeno.

Busca resposta no equilíbrio entre afirmativas aparentemente opostas.

Vê o mundo de modo que todos os objetos e fenômenos estão interligados.


Analítico

Isola o objeto de estudo do seu ambiente.

Busca descrever o objeto para categoriza-lo.

As explicações se baseiam na lógica.

Repudia qualquer tipo de contradição.

Vê o mundo de modo que todos os objetos e fenômenos estão isolados.